Alunos de arquitetura visitaram a Catedral de Umuarama

Com toda sua história, a Catedral é parada obrigatória para a arquitetura da cidade.

Alunos da turma de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Paranaense (Unipar) visitaram terça-feira (9), pela manhã, a Catedral de Umuarama. Foi uma visita guiada por Caroline Salgueiro, uma das arquitetas da Diocese de Umuarama e especialista em espaço litúrgico e arquitetura sacra, a pedido da Professora de Arquitetura e Urbanismo e Design de Interiores, Paula Andréia Gomes.

A professora explica que esses alunos fazem parte de um projeto, que visa desenvolver o olhar do aluno para a arquitetura de Umuarama. “Na universidade nós temos a teoria, e esse projeto oportuniza, então, que o aluno visite a obra de arquitetura, perceba o espaço como um todo e conheça a arquitetura da nossa cidade. A Catedral é uma referência da nossa cidade, é um ponto tanto de observação como afetivo da memória da história dessa sociedade. Ocupa um espaço muito imponente onde está localizada, que vislumbra esse simbolismo da elevação, e da comunhão com Deus. O edifício, por si, revela, onde ela foi formada, nesse traçado original”, detalha Paula.

“A arquitetura é a arte mais técnica, é a construção civil junto com a harmonização estética da organização cultural, que remete essa grandeza de uma civilização e de um povo. Estar em um espaço de arquitetura, vai além de plantas, cortes e elevações. Toca na sensibilidade do homem em conexão com o sentir e toda essa relação com a escala do edifício. O sentir da iluminação, da força que isso tem em relação ao homem, a ambiência, qual o sentimento que a arquitetura pode resgatar, que também é uma interpretação individual. Cada aluno percebe o espaço a partir da bagagem que ele possui, então é uma experiência individual, que faz parte deste aprender a fazer arquitetura”, finaliza a professora.

A arquiteta Caroline, atendeu ao pedido da professora, para contar especificamente sobre a arquitetura sacra da Catedral. “Quando começamos a estudar e nos aprofundar no tema, descobrimos outras coisas. Tudo aqui faz sentido, o porquê do banco de madeira, do piso, das cores, da iluminação, tudo tem uma simbologia envolvida no projeto. Não é simplesmente um projeto por si só, isso faz parte do conceito, e é muito forte a partir do símbolo que nós temos, dos documentos, da história, da tradição e isso vem compor o espaço litúrgico”, explica.

Para Caroline, levar os alunos na Catedral é o início para se conhecer o próprio patrimônio. “Somos uma cidade jovem e temos que construir a nossa história, conhecer esse espaço é de fundamental importância para eles e também entender um pouco da arquitetura sacra, onde o céu e a terra se encontram, é um espaço divino, esse conhecimento está dentro da nossa história, da igreja católica em si”, conclui a arquiteta.

Fonte: Érica Bolonhezi
Jornalista Diocesana e PASCOM
Publicação e Fotos: Gabriel Rocha
Assessor de Comunicação Diocesana e PASCOM

Compartilhar: