Coletiva de Imprensa marca 54⁰ Dia Mundial das Comunicações Sociais

Com número reduzido de profissionais da Imprensa de Umuarama, Bispo fez seu pronunciamento em comemoração a data

A coletiva de imprensa, aconteceu na Residência Episcopal, na manhã desta quinta-feira (28). Compôs a mesa o Bispo Dom João Mamede Filho e o Padre Carlos Alberto de Figueiredo, Diretor da Rádio Inconfidência. Para que a coletiva acontecesse foi permitida a entrada de no máximo duas pessoas por veículo de comunicação, com máscara, mantendo sempre a distância de segurança e com toda a higienização necessária do ambiente.

Na ocasião o Bispo falou sobre a mensagem do Papa Francisco para o 54° Dia Mundial das Comunicações Sociais, celebrado no dia 24 de maio, pela Igreja católica. Para este ano, o Papa escolheu como tema uma passagem da Bíblia, “Para que possas contar e fixar na memória (Ex 10, 2). A vida faz-se história”.

O Santo Padre dedicou a mensagem deste ano ao tema da narração. Segundo ele, “para não nos perdermos, precisamos respirar a verdade das histórias boas: histórias que edifiquem, e não as que destroem. Histórias que ajudem a reencontrar as raízes e a força para prosseguirmos juntos. Na confusão das vozes e mensagens que nos rodeiam, temos necessidade duma narração humana, que nos fale de nós mesmos e da beleza que nos habita; uma narração que saiba olhar o mundo e os acontecimentos com ternura, conte a nossa participação num tecido vivo, revele o entrançado dos fios pelos quais estamos ligados uns aos outros”, diz a mensagem.

Padre Carlos Alberto de Figueiredo, afirma que o grande comunicador é Jesus, “Ele que comunica a verdade, a salvação, Ele comunica uma vida nova, Ele traz a palavra de Deus para nós. Comunicar é evangelizar, e olha a importância que nós temos, de fazer isso acontecer pelos novos meios. Temos muito que caminhar ainda, mas já estamos buscando fazer isso, temos muitos meios para levar a palavra de Deus, ide evangelizai,” conclui o Sacerdote.

O Bispo, afirma que a proposta do Papa Francisco é que se traga à tona, faça emergir e circular o bom, que é a maior parte, que fez nascer e faz se perpetuar a nossa cidade. “O fez os nossos antepassados terem gosto de viver e fazer a vida chegar até nós. Isso é o que havemos de fazer emergir essas narrativas, essas histórias,” conclui Dom João.

Produção: Katya Suzuki 
Assessora de Comunicação Diocesana 
Érica Bolonhezi
Jornalista Diocesana e PASCOM

Compartilhar: