Em coletiva, Dom Mamede fala sobre a Campanha da Fraternidade 2018 e superação da violência

Na coletiva de imprensa realizada na manhã desta quinta-feira, 08, na residência episcopal, Dom João Mamede falou sobre a Campanha da Fraternidade, os desafios da superação da violência em nossa Diocese e o descaço da rodovia PR-323 conhecida popularmente infelizmente como “rodovia da morte”

Confira na íntegra o discurso de Dom Frei João Mamede Filho, OFM Conv., por ocasião da coletiva de imprensa da Campanha da Fraternidade 2018:

TEMA: Fraternidade e Superação da Violência
LEMA: Vós sois todos irmãos (Mt 23,8)

A CF é realizada durante a quaresma e tem o objetivo de chamar a atenção dos cristãos e de toda a sociedade para a situação de violência que vive o país. Deste modo, através da oração, jejum e esmola iniciar um caminho de conversão pessoal e de transformação da sociedade.

Como o nome diz, é Campanha da Fraternidade, ou seja, visa construir e desenvolver o espírito de fraternidade na sociedade. Como o tema diz respeito a violência, a Igreja propõe, à luz da Palavra de Deus – a Bíblia -, um caminho de cultura da paz, reconciliação e justiça, para superá-la.

Ao falar de violência, a CF traz, a partir de seu texto base uma extensa reflexão sobre o que está acontecendo no mundo e, especialmente em nosso país. Afinal, o Brasil é um dos campeões em práticas de violência contra a sua população.

Para a CF a violência tem múltiplas faces: ela é racial contra negros, índios migrantes e imigrantes. É também contra jovens, mulheres e homens; violência doméstica; de exploração sexual e tráfico humano; contra os trabalhadores rurais e contra os povos tradicionais; tem relação com o narcotráfico; se revela na ineficiência do aparato judicial; atinge a própria polícia; tem a questão do direito à informação; trata da religião e violência; e a violência no trânsito – aqui lembramos a violência diária da Rodovia PR 323, e a grande luta por sua duplicação. Lembramos que a violência está disseminada na sociedade. Onde promover a cultura da paz?

A Igreja propõe a oração para aqueles que sofreram violências. Mas não para aí. A Igreja convida a todos para que se unam na superação de toda a forma de violência. Convida também a cobrar por políticas públicas que garantam a paz e a harmonia entre todos. Chama a todos para a mudança de hábitos individuais e coletivos, pois somente assim se dá passos para essa superação. A violência começa dentro das pessoas.

E nesse trabalho de superação da violência a CF 2018 propõe seguirmos os 06 Pilares da Cultura da Paz:

• Respeitar a Vida
• Rejeitar a violência
• Ser generoso
• Ouvir para compreender
• Preservar o planeta
• Redescobrir a solidariedade

A Igreja sabe que a superação da violência não se esgota em si, ou apenas em uma campanha ou de imediato. Mas pretende que vários espaços e ações variadas na sociedade se deem as mãos, sejam sensibilizados na promoção da paz. Aliás, não se faz a paz com a vingança, mas somente com a solidariedade de toda a sociedade junto promovendo a fraternidade.

 

 

Fonte: Diego Fernando Jacob
Publicitário e assessor de comunicação e imprensa diocesana
Fotos: Juliano Alves
Fotógrafo e assessor de comunicação diocesana

Compartilhar: