Reginaldo Urbano representa a Diocese de Umuarama em leilão da ANP

Presentes na 15a Rodada de Licitações de blocos para exploração de petróleo e gás, representantes da Coalizão Não Fracking Brasil registram posição contrária ao uso de combustíveis fósseis e, em especial, à técnica do fracking

A Agência Nacional do Petróleo e Gás (ANP) realiza nesta quinta-feira (29) a 15ª Rodada de Licitações de blocos para exploração de petróleo e gás. Finalmente com espaço garantido, representantes da Coalizão Não Fracking Brasil pelo Clima, Água e Vida (COESUS) e da 350.org Brasil estarão novamente presentes, para mostrar aos investidores e ao governo que o modelo energético baseado na total dependência de combustíveis fósseis, que pode levar o planeta à falência múltipla em muito pouco tempo, não é a escolha da sociedade brasileira.

“A população já disse ‘não’ ao fracking. Desde 2012 estamos presentes em todos os leilões da ANP combatendo arduamente a exploração não convencional de gás e petróleo através dessa técnica, que nós apelidamos no Brasil de ‘gás da morte’. O investidor que se aventurar a concretizar essa empreitada vai encontrar pela frente uma forte resistência nos tribunais, por parte do próprio Ministério Público Federal, que nos apoia, nos poderes legislativos locais e nos setores organizados da sociedade. O fracking, definitivamente, não é uma boa opção. Não é viável economicamente, vide o caso americano, onde quase 70% das empresas faliram, e tampouco é sustentável do ponto de vista socioambiental”, afirmou Juliano Bueno de Araujo, fundador e coordenador nacional da COESUS.

 

 

Participação da sociedade civil

Diferente do cerceamento de participação que vinha ocorrendo nas últimas rodadas, dessa vez membros da COESUS e da 350.org terão um espaço de fala durante a sessão pública de ofertas da ANP. Sete representantes de diversos estados e regiões do Brasil ameaçadas pelo fracking levarão às empresas investidoras e às autoridades governamentais a mensagem da população brasileira. A oratória será realizada na abertura da parte da tarde, e foi garantida pelo diretor-geral da ANP, Décio Oddone, durante reunião fechada com a coordenação nacional da coalizãono final de fevereiro.

Além de Juliano Bueno e Nicole Figueiredo, outros cinco membros da COESUS falarão em nome da sociedade civil. São eles: Kretã Kaingang, cacique do Paraná e membro da coordenação-executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib); Jardel Miranda, coordenador da Campanha Não Fracking Brasil no Maranhão; Reginaldo Urbano Argentino, representante da Diocese de Umuarama e integrante do Grupo de Trabalho da Mineração da Conferência Nacional do Bispos do Brasil (CNBB); Luís Adalberto Lunitti, agricultor e ex-prefeito de Toledo (PR), primeiro município a aprovar legislação contra o fracking no Brasil; e Suelita Rocker, coordenadora da Campanha Não Fracking em Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

 

Publicação: Diego Fernando Jacob
Publicitário e assessor de comunicação diocesana
Fonte: 350.org

Compartilhar: