Sexta-feira Santa, paixão e morte, sofrimento na certeza da ressurreição

Dom João Mamede Filho, Bispo Diocesano, presidiu a celebração às 15h, na Catedral de Umuarama

A Sexta-feira Santa da Paixão do Senhor é uma celebração do Tríduo Pascal, em que se vivencia a paixão e a morte de Jesus. Padre Carlos Alberto de Figueiredo, Pároco da Paróquia e Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e Assessor da Pastoral da Comunicação, explica o significado desse momento: “Na celebração nós não temos início e não temos fim, porque ela faz parte de toda a celebração que estamos vivendo como uma só: quinta, sexta e sábado na vigília. Domingo é Páscoa. A espiritualidade da Sexta-feira Santa nos remete ao silêncio da morte e ressurreição de Jesus em seu sofrimento até a cruz. É uma entrega total de Jesus”, destaca o Presbítero.


Ele continua contando que Jesus tomou sua cruz e levou-a até ao calvário sob chicotadas, xingamentos e todo tipo de violência e dor. “Ele não desiste da sua cruz, é crucificado, por amor, para mostrar a todos que o amor nos dá a vida. Portanto nos dá a vida que o próprio Jesus veio trazer, doar a nós. No começo da celebração, o padre se prostra e faz ali um momento de humildade, um tempo para meditar que não somos nada, que estamos aos pés do Senhor e aos pés do Senhor nós somos tudo com Ele. Ao celebrarmos a Sexta-feira Santa, já nesse mistério da paixão e morte do Senhor, à espera da ressurreição, entramos também na espera confiante da vida nova, amém”, conclui o sacerdote.

Fonte: Érica Bolonhezi
Jornalista Diocesana
Fotos: Milton Cinque 
Pascom Catedral de Umuarama

Compartilhar: