Não tenham medo!

Padre Sérgio Grigoleto, faz análise do encerramento da semana de Páscoa e do momento que todos estão passando

Padre Sérgio Grigoleto, Secretário Executivo do Conselho Episcopal Latino-Americano e do Caribe (CELAM), fez uma análise em relação ao encerramento da semana de Páscoa e ao momento que todos estão passando, no texto ele diz que Jesus pede, “Não tenham medo!”.

 

Não tenham medo!

Estamos encerrando os dias da oitava da Páscoa; os oito dias que a seguem e a prolongam no tempo. É assim, a Páscoa é uma festa tão grande que se prolonga por oito dias. Nesses oito dias, os cristãos celebram a vitória de Cristo sobre a morte e o pecado. E nestes tempos de pandemia, por causa da Covid-19 e marcados por tantas outras situações de dor e sofrimentos, como nos recorda o Papa Francisco em sua mensagem de Páscoa, somos convidados a deixar que a alegria da Páscoa encha nossos corações e dê sentido a nossas vidas.
A Liturgia destes dias, que muitos acompanharam mesmo estando encerrados em suas casas, pelos meios de comunicação ou pelas redes sociais, narraram-nos a Páscoa da Ressurreição. Aquela na qual Cristo ressuscitou. A cada dia, as leituras que foram proclamadas pela Igreja na celebração da eucaristia puseram em relevo diferentes elementos deste evento maravilhoso, a vitória o amor de Deus pela humanidade, cuja expressão máxima é a Ressurreição de Jesus Cristo.
Não podemos deixar de perceber que uma das características que os distintos escritores sagrados (hagiógrafos) registraram, e com certa insistência, foi o convite do Senhor Ressuscitado: “Não tenham medo!”.
Este convite de Cristo, repetido várias vezes nos evangelhos pode nos inquietar: Como os discípulos podiam estar com medo se estavam diante do Senhor? Sim, eles tinham medo. E muito medo!
Os discípulos tinham medo de que acontecesse com eles o mesmo que havia acontecido a Jesus, ou seja, que eles também fossem condenados à morte. Temiam que suas esperanças não se realizassem. Temiam que, no final das contas, o mal vencesse. Os discípulos temiam muitas coisas, o Evangelho segundo São João diz textualmente que “ao entardecer daquele primeiro dia… [o da ressurreição], os discípulos estavam com as portas do lugar onde se encontravam, fechadas por medo dos judeus” (Jo 20,19).
Não foi fácil para eles viverem aqueles dias! É justamente neste contexto de medo, de quase pavor, que a mensagem de Jesus Ressuscitado encontra lugar: “Não tenham medo!”.
Hoje, nós somos os discípulos de Jesus Cristo, e como nos convida nossa fé cristã, devemos ser “Discípulos missionários”. Sim, temos muitos motivos para temer: o novo Coronavírus, a pandemia, o medo de morrer ou de que alguém que amamos morra, as consequências econômicas de tudo isto que estamos vivendo, o desemprego, o medo de que falte algo necessário a nossas famílias. São tantos motivos que temos para temer. Porém, temos que abrir nossos corações à mensagem do Senhor. Uma mensagem que é muito mais do que um simples convite, pois está no tempo verbal chamado imperativo e, sendo assim, é muito mais que um convite. Podemos dizer que é um novo mandamento.
Queira Deus que nestes tempos difíceis que nos toca viver possamos, assim como os primeiros discípulos, acolher o mandamento do Senhor e nos deixarmos transformar por Ele, pela certeza de sua presença misteriosa entre nós. Que assim como fizeram os primeiros discípulos, nós também encontremos a coragem para superarmos nossos temores, e encontremos na fé em Cristo, a força que necessitamos para anunciar a sua vitória sobre o mal e sobre a morte.

Publicação: Érica Bolonhezi
Jornalista Diocesana e PASCOM
Fonte: Padre Sérgio Grigoleto
Secretário Executivo do Conselho Episcopal Latino-Americano e do Caribe (CELAM)

Compartilhar: