Coletiva de Imprensa marca a abertura da Campanha da Fraternidade 2020

Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso
“Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)

Aconteceu no dia 06 de fevereiro a Coletiva de Imprensa de lançamento da Campanha da Fraternidade 2020, que tem como tema, Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso; “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34). Para falar sobre o assunto, foram convidados o Monsenhor Antônio Luiz Catelan Ferreira, representando o Bispo Dom Frei João Mamede Filho, Padre Carlos Alberto de Figueiredo, Assessor da Pastoral da Comunicação (PASCOM) e Diretor da Rádio Inconfidência, a Irmã Joiciele Cristina Botelhos da Silva, da Congregação Irmãs de Cristo Pastor e o Senhor Aparecido Adão Romero, Coordenador da PASCOM.
O Monsenhor afirma que em geral as Campanhas da Fraternidade tratam de temas que estão relacionados à vida. “Ela nos ajuda a perceber a conexão entre os vários assuntos, desde a ecologia, idosos, crianças; enfim, todos os temas que as campanhas anteriores foram abordando, estão sendo conectadas a partir deste ponto fundamental, que é a dignidade, a beleza da vida e o compromisso que isso gera em nós”, destaca Catelan.
Ele ainda diz que “todos devem ter uma postura de respeito em relação ao próximo, fazer o que estiver ao alcance de cada um, para ajudar a si mesmo e ao que está do nosso lado, tendo uma postura fundamental de quem valoriza realmente a vida”, conclui o Monsenhor Antônio Luiz.
Neste ano, todos são convidados a olhar, de modo mais atento e detalhado, para a vida. O Padre Carlos Alberto, explica que “a vida está sendo banalizada, independente de que contexto esteja, com o aumento da violência, dos assassinatos, suicídio, fome, miséria, então, é uma série de situações que ataca e desvaloriza a vida. A Igreja preocupada com isso, propõe-nos para não nos esquecermos disso, de valorizarmos a vida”, conclui o Sacerdote.
A Irmã Joice, que esteve presente na Formação Regional da Campanha da Fraternidade, afirma que “a campanha quer chamar atenção da Igreja, da sociedade, de uma maneira coletiva, para um problema que é coletivo.  É um problema que está cada vez mais sério, que é a desvalorização da vida, com suicídio, a automutilação e tantos problemas emocionais, que são gerados por diversos motivos. Por isso que ela abrange a questão emocional, mas também quer trabalhar a desigualdade econômica, o trânsito e tantas outras coisas que desvaloriza a vida”, finaliza a Irmã.
A Campanha da Fraternidade é um modo privilegiado pelo qual a Igreja no Brasil vivencia a Quaresma. A cada ano, um tema é destacado como sinal de que realmente necessitamos de conversão.

 

Fonte: Érica Bolonhezi
Jornalista Diocesana
Fotos: Katya Suzuki
Assessora de Comunicação e Imprensa

Compartilhar: