Duplicação da PR-323: Uma luta permanente do povo paranaense

“Se eu conversasse com Deus /Iria lhe perguntar:
Por que é que sofremos tanto /Quando viemos pra cá?
Que dívida é essa /Que a gente tem que morrer pra pagar?
Perguntaria também /Como é que ele é feito
Que não dorme, que não come /E assim vive satisfeito.
Por que foi que ele não fez A gente do mesmo jeito?
Por que existem uns felizes /E outros que sofrem tanto?
Nascemos do mesmo jeito, /Moramos no mesmo canto.
Quem foi temperar o choro /E acabou salgando o pranto?”

– Leandro Gomes de Barros

 

Quem acabou salgando o pranto, não sei. Mas uma das coisas que muito aumentou o pranto na nossa região, eu sei: foi a falta da duplicação da nossa PR-323.” – Dom João Mamede Filho, OFM Conv.

Com a presença de diversas autoridades políticas, civis e eclesiais, foi realizado na manhã desta sexta-feira, 08 de dezembro, mais um evento em prol da duplicação da PR-323. Grito pela Vida, União pelo Desenvolvimento. Durante o o encontro, fizeram o uso da palavra Dom João Mamede, Bispo de Umuarama, Sérgio Frederico, presidente da Comissão Vítimas do Descaso, Pr. Rodrigo Marques, Pastor da Igreja Batista Betel de Umuarama, João Arthur Mohr, secretário executivo do Conselho de Infraestrutura da FIEP (Federação das Indústrias do Estado do Paraná) e Celso Ferrari Júnior, prof. e coordenador do EAD da UNIPAR.

Organizado pela Comissão Vítimas do Descaso, o evento teve por foco, reunir forças da sociedade civil organizada para cobrar junto ao governo estadual esta obra, que além do desenvolvimento das cidades, tem como função diminuir os acidentes e consequentemente as mortes, onde no ano de 2016 somaram mais de 500 acidentes com mais de 110 vítimas fatais. (Estatísticas essas que são minimizadas pelo governo, já que levam em conta vítimas fatais que perderam a vida na hora do acidente na rodovia, excluindo aqueles que foram encaminhados aos hospitais e não resistiram).

O encontro contou com a presença do representante de Dom Anuar Battisti, arcebispo de Maringá e com a presença de Dom João Mamede Filho, bispo de Umuarama, que na ocasião abriu a solenidade com a benção e recitação de um poema, que pode ser conferido abaixo, juntamente com seu discurso na íntegra.

Luiza Lima, jornalista da Rádio Inconfidência de Umuarama, pertencente à Diocese, também conversou com Dom Mamede, a respeito do evento, e ressaltou a importância da valorização da vida e do desenvolvimento que virá juntamente com uma obra desta magnitude. Veja abaixo a entrevista:

 

 

Fonte e fotos: Diego Fernando Jacob
Assessoria de Comunicação e Imprensa Diocesana

Vídeo e edição: Juliano Alves
Assessor de Comunicação Fotógrafo Diocesana

Compartilhar: